II Coríntios 7. 8-16

Carta severa

Depois de uma visita houve uma tensão entre Paulo e um grupo da igreja em Corinto. Diante disso, Paulo enviou uma carta, a carta severa, mas viu que poderia ter sido “grosso”, bravo. Para saber como a igreja tinha recebido a carta severa, Paulo enviou Tito que depois volta com boas notícias e Paulo escreve a quarta carta para os corintos, que é está que esta sendo estudada: II Corintios.

Talvez você não saiba, mas Paulo escreveu um total de quatro cartas aos corintios. Duas se perderam e temos duas: a segunda que é I Coríntios e a quarta, que é II Coríntios. Para ver isso com mais detalhes, clica aqui e dá uma olhada nos estudos anteriores.

Resultado da carta severa

Nos versículos oito e nove vemos que Paulo ficou feliz pelo resultado. A carta fez um bom efeito, apesar que, por um tempo, Paulo ficou arrependido, com receio da reação e isso mostra que Paulo era sujeito a fraquezas. Ele era igual a gente.

Os corintos se arrependeram e a alegria de Paulo era por isso. Deus trouxe convicção de pecado. Apesar da carta ter sido severa, a provável tristeza teve como consequência o arrependimento. Inegavelmente a tristeza causada por Deus é para produzir arrependimento, ou seja, este é um tipo bom de tristeza.

A vida cristã não é só de alegria. Todo crente verdadeiro convencido do pecado se entristece. A carta severa não causou dano, mas bem!

Tristeza de Deus X Tristeza do mundo

O versículo dez explica o porque a carta não causou dano. Através da carta Deus entristeceu, gerou arrependimento e salvou o povo do estado que eles estavam, presos no pecado. Aqui é preciso esclarecer que nem sempre quando se fala em salvação é livrar do inferno, mas da situação. A salvação também pode ser cura (“a tua fé te salvou”).

É como o Pr. Hernandes Dias Lopes diz em seu comentário: “A tristeza segundo Deus é a ferida que cura, é a assepsia da alma, é a faxina da mente”.

Diferente da tristeza de Deus, a tristeza do mundo produz morte.

Duas maneiras de encarar a tristeza

A maneira certa é pelo arrependimento (mudança só com a graça de Deus) e a outra é com revolta, que demonstra um senso de justiça própria, transfere culpa.

Evidências dos resultados da carta severa

No versículo onze tem sete reações que provam a mudança: cuidado, defesa, indignação, temor, saudade, zelo, vindita (vingança, justiça feita – disciplinaram – capítulo 2).

Não era a igreja que perseguia Paulo, mas lá tinha um grupo que incitava a perseguição.

Qual o motivo de escrever a carta severa?

Certamente, aqui Paulo consola os corintos. Não foi por causa do irmão e nem porque ele foi ofendido, mas para dar uma oportunidade para provar a sinceridade e o amor dos corintos. Testar.

Versículos 13, 14, 15 e 16

A igreja teve alegria com a vinda de Tito. Ele foi bem recebido. Sem dúvida, Paulo ficou ainda mais alegre ao saber que a igreja consolou Tito.

Tito foi com receio, mas voltou “apaixonado” pela igreja, teve grande afeição.

Outro motivo de Paulo ter ficado alegre é porque não passou vergonha, pois a igreja em Corinto aceitou a autoridade representativa do apóstolo.

Paulo finaliza essa parte dizendo que se alegra por poder confiar na igreja.

Conclusão

Primeira, como já foi falado anteriormente, há duas maneiras de encarar as tristezas da vida. O que conta é como reagimos e assim podemos crescer.

Segundo, Deus usa pastores para dirigir os rumos das igrejas desviadas. Devemos nos colocar submissos a um pastor fiel.

De forma específica para os pastores: que responsabilidade em discernir quando ser amoroso e severo! Em pregar! Tem que pastorear.

E, por fim, Deus é quem produz mudança. Traz convicção de pecado

Para ver o vídeo estudo, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.