I Timóteo 1. 3-7

Confrontar

De acordo com o que foi falado no estudo passado, na introdução, o objetivo dessa carta era instruir Timóteo no proceder com a igreja em Éfeso. A igreja precisava ser instruída para confrontar os falsos mestres da igreja em Éfeso. Convém lembrar que a igreja em Éfeso eram casa-igrejas, ou seja, tinha vários lugares que o povo se encontrava.

Antes da mais nada, é bom relatar que não se sabe exatamente o que era ensinado pelos falso mestres. Mas pode subentender pelas palavras de Paulo.

Será que eram judaizantes? Gnósticos? Não se sabe. Porém o ocultismo era comum em Éfeso e Paulo tratou sobre o legalismo e misticismo, dessa forma, pode ser as duas coisas.

Provavelmente, esses falsos mestres eram pessoas desviadas. Elas perturbavam e discutiam sobre esse assuntos que não eram o cristianismo. Assim, Timóteo tinha que lidar com isso e os estragos.

A missão de Timóteo era confrontar

Conforme vemos nos versículo 3 e 4, Paulo rogou para Timóteo ficar em Éfeso. Paulo não usou sua autoridade de apóstolo. Paulo pedia, tentava convencer. Aqui é mostrada a visão pastoral de Paulo. Mostra que ele queira que as pessoas servissem e não apenas cumprissem ordens, simplesmente.

Paulo dá autoridade apostólica à Timóteo, a carta iria ser lida à igreja em Éfeso. Essa autorização era provisória até Paulo voltar.

Timóteo tinha que confrontar os falsos apóstolos. Confrontar, seria admoestar, advertir severamente, ordenar que eles parassem com aquilo.

Sem dúvida, aqui já sabia a doutrina, um conjunto de verdades estabelecidas; diferente dos que falam que isso foi construído nos séculos. provavelmente está carta foi escrita entre 62-64 dC e, conforme vemos, já se sabia a verdadeira doutrina de Cristo.

É preciso confrontar atualmente, pois há muitos erros no meio evangélico (misticismo, experiência…).

Quando Paulo fala sobre fábulas, é sobre os livros que falavam a respeito de histórias a respeito da criação, que o judaísmo e o cristianismo depois desprezou.

Já genealogia, pode ser as judaizantes, onde tinha longas listas para provar que era descendente de Abraão. Ou listas de emanações gnósticas, seres espirituais até chegar a Deus. Entretanto isso apenas promovia discussão e não serviço.

Confrontar com objetivo

De acordo com o versículo 5, Paulo esperava que esses falsos mestres se arrependessem. Paulo queria que o coração deles se enchessem de amor pelo rebanho. Que eles tivessem um coração puro (purificado pelo Espírito Santo), pois só assim poderiam amar sem interesse; uma consciência boa: tranquila, sem culpa (pela obra de Cristo) e uma fé não falsificada. Inegavelmente o amor brota dessas coisas. Paulo queria levar essas pessoas a refletirem, para que mudassem.

Versículos 6 e 7

Aquelas pessoas tinha se desviado, ignorado o coração puro,a consciência boa e por isso fingiam ter fé. Elas perderam-se em contendas, discussões inúteis. Todavia eles se apresentavam como entendedores, mesmo sem saber nada, pois era apenas aparência, capa.

Conclusões

  1. membros das igrejas, líderes podem se desviar e passar a ensinar coisas erradas. Podem tentar acomodar a nova doutrina ao seu estilo de vida.
  2. é importante vigiar nosso coração. Inegavelmente, todos nós somos vulneráveis. Por isso doutrina é importante, todavia, um coração puro, boa consciência e uma fé não fingida é mais.
  3. boa parte do trabalho pastoral é ensinar a verdadeira doutrina , admoestar, confrontar e discernir os falsos mestres/ensinos.
  4. o objetivo da liderança, do pastor é correção, confrontação para produzir um coração puro, consciência boa e fé não fingida.

Por fim, se você quiser assistir ao vídeo desse estudo ministrado pelo Pr. Augustus Nicodemus, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.