II Coríntios 12. 11-13

credenciais do apostolado

Neste estudo, Paulo fala sobre as credenciais do apostolado. É a continuação do Estudo “Expondo as Escrituras” .

A princípio, o Pr. Cláudio, da Primeira Igreja Presbiteriana do Recife, recapitulou um pouco o que foi visto até agora. E que havia uma confusão de quais seriam as credenciais de um apóstolo de Cristo. De acordo com os estudos passados, isso começou por causa dos falsos apóstolos. Pois eles diminuíam Paulo e o acusava, mas queriam liderar para se aproveitarem da igreja.

E foi justamente por isso que Paulo expôs as credenciais do apostolado, as marcas de um apóstolo, mesmo com relutância, para não pensarem que ele estava se exaltando.

Constrangimento ao mostrar as credenciais do apostolado

Conforme vemos no versículo 11, Paulo diz que se constrange ao ter que mostrar as suas credenciais diante das acusações. Relata que agiu como um tolo, imprudente ao ter se gloriado das credenciais.

De acordo com II Coríntios 11. 22 Paulo mostra suas credenciais judaicas; nos versículos 23 -33, fala dos trabalhos e sofrimentos, que são mais credenciais, pois ele sofreu por ser apóstolo de Cristo.

Já em II Coríntios 12. 1-6, Paulo fala sobre as visões e revelações, pois poucas pessoas tiveram a experiência de ser arrebatado. Seguindo nos versículos de 7 a 10, relatou sobre o espinho na carne, justamente para não se exaltar.

Paulo afirma que fez loucura ao trazer essas informações. Os corintos constrangeram Paulo a fazer isso, porque acolheram os falsos mestres, duvidaram da apostolicidade de Paulo e assim colocavam a obra de Cristo em dúvida.

Sem dúvida, o evangelho é que estava “em risco”.

Os corintos deveriam defender Paulo diante dos falsos apóstolos, pois ele era líder, plantador, piorneiro e não aceitar as acusações dos falsos apóstolos.

Paulo fala que não tinha sido inferior aos demais. Ele fala de forma irônica “tais apóstolos”, “super apóstolos”, “especiais”. Paulo não se colocava acima deles, mas tinha consciência de quem era, não era nada (o espinho na carne estava lá para mostrar isso). Tudo que Paulo tinha feito, era fruto da graça de Deus, conforme vemos em I Coríntios 15. 9-10.

Não tinha competição, mas falava essas coisas para salvaguardar o evangelho pregado. Paulo defende sua apostolicidade defendendo o evangelho.

Sinais, prodígios e poderes miraculosos

Esses sinais e poderes miraculosos concedeu aos 12 discípulos, para evidenciar a Palavra pregada. Paulo queria que os corintos soubessem discernir o verdadeiro do falso.

Credenciais é o mesmo que evidências, sinais. Eram provas inegáveis que com paciência, perseverança seguiam até convencer que a mensagem pregada era verdadeira.

Do mesmo modo temos essa confusão atualmente. Há ciras, exorcismo… Mas na Bíblia vemos que Paulo não fez, eles se manifestaram, pois foi Deus quem fez tudo.

Em Atos temos a visão da igreja apostólica sobre esses sinais, curas, prodígios e que o Espírito Santo é quem dá poder para testemunhar de Cristo. Deus é soberano! A função da igreja é pregar, anunciar e, enquanto se prega, Deus fazia sinais, curas, maravilhas ou seja, eles tinhas a mesma consciência de Paulo sobre isso (Atos 2; 4; 13.4-12; 14.3,8-9; 15.12; 19.11-12).

Mais uma ironia ao falas das credenciais do apostolado

No versículo 13 Paulo ironiza com os corintos. Perde perdão por não ter sido pesado. Os sinais eram claramente expostos, apenas não recebeu salário para não ser pesado e por causa disso seria um falso apóstolo?! Pois Paulo abriu mão disso por causa dos falsos apóstolos, para que eles não se aproveitassem da igreja.

Aplicações

Em relação ao sinais, prodígios… naquela época o objetivo era autenticar que a mensagem pregada pelos apóstolos era de Deus. A pregação precisava de prova, pois os judeus precisavam saber que Jesus era o Messias, e os gentios que Jesus era Deus.

Inegavelmente todo mundo tem talento, habilidade, e todos os dons são extraordinários, mas os espetaculares provava que a mensagem era de Deus.

Atualmente não há necessidade disso, pois tem a completude do Novo Testamento. Infelizmente alguns crentes de hoje são como Tomé, precisam ver para crer, mas hoje não tem mais apóstolos.

Todavia, Deus é o mesmo! Ele cura, faz milagres ainda hoje. Ele faz em resposta às nossas orações.

Devemos crer nos milagres bíblicos, mas ser abeto aos milagres atuais e estarmos atentos, pois o diabo faz sinais e prodígios também (Mateus 7. 15-23).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.