I Timóteo 3. 8-12

Diácono

Este texto é baseado no estudo ministrado pelo Pr. Augustus Nicodemus, na Primeira Igreja Presbiteriana do Recife., em 03 de Fevereiro de 2020.Se você quiser ver o vídeo desse estudo, clica aqui! Inicialmente, O pastor faz uma retrospectiva, fala sobre a diaconia e no final fala sobre as qualificações do diácono. Ele também esclarece que o versículo 11 vai ser tratado em um estudo separado (ele fala sobre as mulheres).

Paulo escreve à Timóteo para o orientar na condução, fortalecimento das Igrejas. Entre os assuntos estão como lidar com os falsos mestres/profetas, como escolher presbíteros e diáconos e como lidar com os diferentes grupos de pessoas. É um encorajamento para Timóteo continuar firma nessa difícil tarefa. Todavia, essa carta era para também ser lida diante de toda a igreja.

O último estudo foi sobre as qualificações para o presbítero. Hoje, será para o diácono.

Diácono

O que é ser diácono? Sem dúvida essa função já existia em Éfeso. Vemos que Paulo não estava criando o cargonaquele momento e que as igrejas formadas por Paulo já se organizavam com presbíteros e diáconos. Inegavelmente, notamos que a igreja já tinha certa estrutura, liderança.

É importante saber que o termo para diácono se refere a alguém que serve, ministra, que presta serviço a outro. Percebemos isso nas seguintes referências: Mateus 20.26; João 2.5; Romanos 13.4 e Romanos 15.8. Todas elas têm a tradução para o termo diácono. Entretanto, há situações que são para determinado grupo, separado para servir na igreja (as necessidades). São apenas duas: Filipenses 1.1 e o texto base de hoje, I Timóteo 3. 8-12.

O que faz?

Em Atos 6, vemos a escolha de sete homens para exercerem a função de diácono. Nessa situação tinham mulheres sendo esquecidas na hora da ajuda e viram a necessidade de ter pessoas dedicadas para cuidar desse serviço.

O que um diácono faz é servir.

Na igreja reformada, é comum os diáconos cuidarem da distribuição e administração dos recursos financeiros. Os batistas são parecidos com os presbíteros da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB). Na Assembleia de Deus, ele diz que é semelhante com os diáconos da IPB, mas também pregam, dirigem o culto…

O pastor teve a humildade de dizer que isso foi baseado nas informações que ele teve e poderia até estar equivocado. Na IPB o diaconato é um ofício junto com os presbíteros. Eles cuidam do necessitados, da logística do culto etc. A administração é com o conselho, que é composto por pastores e presbíteros (presbíteros docentes e regentes). Ou seja, a função dos diáconos é basicamente servir aos mais carentes.

O que se faz com os pobres?

Lendo o Novo Testamento, vemos que o auxílio aos mais necessitados é por meio dos diáconos. O padrão bíblico é o diaconato, pois usam os dízimos e as ofertas. Claro que tem gente que ajuda diretamente, mas não podemos negar que na Bíblia isso se dá por meio da diaconia. Sem dúvida vemos que a igreja apostólica era generosa não apenas para os seus, mas aos demais.

Infelizmente, esse ofício se perde na idade média, foi desvirtuado.

Na igreja católica, o diácono é mais à liturgia e outras funções.

Contudo, Calvino reestruturou a igreja em Genebra. Ele pensava que tinha dois tipos de diáconos: os que administravam financeiramente os bens da igreja e os para cuidar dos pobres e das viúvas. Porém, onde Calvino foi achar isso? E como sabemos que Calvino não é inerrante, discordamos dele nesse ponte, pois não vemos fundamento bíblico para esses dois tipos de diáconos.

Relação da igreja com os pobres

Sem dúvida, a igreja deve cuidar dos membros carentes com os recursos, com a ajuda dos membros por meio da junta diaconal.

É função do diácono examinar cada caso. Ele deve ver a causa daquela situação, pois se foi por endividamento não seria sábio apenas dar dinheiro, mas corrigir como essa pessoa lida com o dinheiro, ensinar economia doméstica mesmo. É preciso saber a maneira certa de ajudar, sem assistencialismo, sem criar dependência. Muitas vezes, por exemplo, é melhor ver quem na igreja pode oferecer um emprego do que todo mês dar uma cesta básica.

Desse modo, é preciso ter sabedoria, discernimento. E, se tiver como, deve ajudar também os de fora da igreja. Isso serve até de testemunho.

O Estado é responsável pela pobreza, por combater a corrupção, mas a igreja não pode ser omissa a isso. Mas devemos ter cuidado como agir.

Sem dúvida, a função principal da igreja é pregar o Evangelho, mas isso não exclui aquilo que os diáconos fazem. É preciso ter boas obras, misericórdia. Devemos pregar as boas novas de Cristo e também fazer boas obras.

Convém também dizer que igreja não é ONG, não deve fazer ativismo político… Ricos, políticos, pobres preguiçosos, aproveitadores, todos devem ser chamados ao arrependimento. Só a Igreja tem essa mensagem.

Qualificações de um diácono

No versículo 8 vemos que da mesma forma como há exigências para os presbíteros, há também para os diáconos.

Devem ser irrepreensíveis, equilibrados, honestos, de boa reputação, pois é uma função séria.

Precisam ser coerentes no falar e não fofoqueiros, moderado no falar (no teclar), pois, devido à sua função, irão saber da vida das pessoas. Não devem ser inclinados ao vinhos. Nesse ponto, parece que bebida era um problema em Éfeso, pois Paulo fala isso para presbíteros e diáconos, mesmo que beber não seja pecado, mas sim o embriagar. Eles também não deveriam ser cobiçosos, gananciosos e avarentos.

Teologia é importante para o diácono

Deveriam ter a consciência limpa e tranquila, com base no Evangelho. E é por isso que para os diáconos, a teologia também é importante.

Não é só chegar perto de quem precisa e dar o pão, pois a pessoa necessitada pode ter seus questionamentos. Elas precisam de conselho. Pode ter o questionamento do motivo delas estarem passando por essa situação. Muitas pessoas precisam ser consoladas.

Fico imaginando em nosso momento atual (pandemia COVID): depois de um pouco mais de um ano, ainda há pessoas ficando doente, morrendo. Muitas também perderam o emprego, por determinação de decretos não puderam abrir seus negócios e muitos faliram. Diante disso, é nítido que as pessoas precisam muitos mais que alimento físico. Quem ajuda têm que ver a pessoa por completo.

Claro que tenho consciências da diversidade dos dons, mas sei que é dever de todo cristão anunciar a Cristo. Pois nem sempre teremos respostas aos questionamentos, mas apresentaremos Cristo, o único que pode tudo.

O Pr. Augustus falou que na época dos holandeses aqui no Brasil, havia diáconos separados para consolar as pessoas.

No versículo 12 está escrito que ele deve ser marido de uma só mulher, que governe bem a casa, administre bem as finanças, para que seja exemplo ao exercer sua função.

Aplicações

  1. que esse estudo explique porque a igreja ensina generosidade, pois parte vai para a junta diaconal.
  2. para pastores e presbíteros: preparar homens capazes para exercer o diaconato.
  3. diácono: medite no privilégio e importância dessa função. Ela não é um estágio para presbítero e depois pastor. São funções diferentes. Cada um tem seu chamado.
  4. encorajar os jovens na possibilidade dessa função. É comum ver jovens conversando sobre seu chamado, e há quem pense que é entrar no seminário. Mas pode servir em diversos trabalhos: médico, motorista de aplicativo etc.
  5. o Novo testamento dá importância à sã doutrina em qualquer função, por isso, devemos dar também.

Que Deus ajude seu povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.