II Coríntios 12. 19-21

Estado espiritual

Inicialmente, convém esclarecer que Paulo estava preparando a igreja em Corinto para uma terceira visita. Ele fala sobre receios por causa da experiência da segunda visita. E, sem dúvida, o apóstolo estava preocupado com o estado espiritual dos crentes

Três preocupações sobre o estado espiritual do crentes

  1. Se o povo interpretasse mal o motivo da terceira visita, pois ele não era mercenário.
  2. Medo de gerar um tumulto, confusão, pois a relação poderia ficar tensa por causa da possibilidade de ter um desencontro de expectativas.
  3. Ser obrigado a usar da autoridade para como os que estivessem andando fora do caminho, pois demostrava que a carta enviada poderia não ter tido efeito.

No estudo passado, falou-se sobre a primeira preocupação, a relacionada a questão financeira. E o estudo de hoje é sobre as demais preocupações.

Segunda preocupação

No versículo 19 Paulo explica que ele não apresenta desculpas, mas tudo o que falou foi para edificação da igreja. Inegavelmente Paulo falou coisas, se gloriou, mesmo de forma constrangida, pois ele queria resolver a dissidência.

Conforme lemos, os falsos apóstolos queriam ocupar o lugar de Paulo e explorar os corintos. Entretanto, Paulo mostrou fatos e pregou o evangelho sem adulterar. As pessoas interpretavam mal o fato de Paulo não querer dinheiro. Além disso, Paulo falou sobre como cuidou bem das ofertas para os irmãos.

Todavia, falavam que isso era desculpa esfarrapada.

Então Paulo diz que fala diante de Deus e não é desculpa para o povo. Porque ele irá prestar contas a Deus. A preocupação era em agradar a Deus, pois em última análise sua consciência está presa a Deus. Embora isso não signifique desconsiderar as outras pessoas.

Paulo falava como cristão: temia a Deus e era verdadeiro. Ele agia sem segunda intenções e tudo para edificação da igreja. Sem dúvida, Paulo amava o povo e lidava, de forma cristã, com os problemas pastorais.

Um dos medos que está no capítulo 20 é de que a visita gerasse um barraco.

Queria acertar as pendências, os questionamentos pessoalmente e não por cartas. Tinha receio da terceira visita fosse igual ou pior à segunda visita.

Porém Paulo não generaliza os crentes em Corinto e queria encontrá-los aos pés da cruz, arrependidos. Esperava que, quando chegasse lá, a carta tivesse feito efeito, mas também poderia ocorrer de encontrar o povo diferente.

A humildade de Paulo e sua preocupação com o estado espiritual e a verdade

Além do mais, ele era humilde ao dizer que o povo poderia encontrá-lo de uma maneira que não esperavam. Ele também não iria pedir perdão pois não tinha feito nada. Isto é mais uma lição para nós pois, às vezes, querendo solucionar ou evitar discussões, pedimos perdão por algo que não foi um erro ao invés de mostrarmos a verdade.

Terceira preocupação com estado espiritual dos crentes, com seus pecados

Paulo também tinha o receio de encontrar o povo com atitudes pecaminosas, como era no início. Ele fala sobre oitos pecados.

Entretanto, com toda certeza, Paulo ia confrontar o povo se tivesse isso, caso a carta não fizesse efeito. A igreja de Corinto era difícil.

Em Gálatas 5 há o relato das obras da carne, semelhante à que Paulo falou (as 4 primeiras nessa ordem).

Oito atitudes de pessoas corrompidas, e o pior era que essas pessoas poderiam até estar falando em línguas. Dessa forma, inegavelmente, tem que separar manifestação sobrenatural de santidade. Jesus mesmo falou lá em Mateus 7. 21-23.

Paulo também receava ser humilhado por Deus por ver a igreja do mesmo jeito; que o problema persiste, imoralidade sexual. Isso seria uma sensação de fracasso.

Aplicações

  1. Homens de Deus podem ser mal interpretados.
  2. Igrejas ou pessoas que caíram moralmente, espiritualmente são motivos de grande tristeza e sofrimento para aqueles que se dedicaram por elas.
  3. Oitos atitudes carnais são destrutivas na (reputação) igreja.
  4. Obras da carne, reflete o fato de que grande parte dos problemas na igreja se deve ao fato da presença de crentes não convertidos (II Co 13. 5).

Infelizmente, há na igreja gente que nunca nasceu de novo, há líder que não está preocupado com o estado espiritual das pessoas…

Que Deus tenha misericórdia de nós.

Se quiser assistir ao vídeo desse estudo, clica aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.