1º Simpósio de Aconselhamento Bíblico

Família e aconselhamento bíblico

Inicialmente quero demonstrar a minha gratidão em ter acesso a este simpósio. Um simpósio sobre Família e aconselhamento bíblico, totalmente online e de forma gratuita. Que Deus abençoe cada pessoa envolvida nesse trabalho, pois sei que para eles isso não saiu de graça. Alguém, com certeza, gastou dinheiro, tempo etc. para que isso fosse realizado.

O tema foi: “E a família, vai bem? Alicerces e perspectivas bíblicas.

Eu perdi o primeiro dia deste simpósio sobre Família e aconselhamento bíblico. A palestra sobre brigas conjugais não pude assisti. Entretanto, a de Fundamentos para o aconselhamento bíblico de famílias ainda estava disponível hoje. E depois isso, organizei minha agenda para assistir as demais: “E se eles não vierem? Diretrizes para uma vida ‘sem’ filhos”, “Mulheres e sexo: verdades que libertam” e “Expectativa x Esperança: discernimentos bíblicos e aplicações para a família”.

Família e aconselhamento bíblico

Primeira Palestra: Fundamentos para o aconselhamento bíblico de famílias

Antes de mais nada, quem ministrou essa palestra foi o Pastor Ivis Fernandes. Ele é pastor da Segunda Igreja Batista de Macaé/RJ.

A palestra girou em torno do conceito bíblico de família. Sem dúvida, para se falar de família e aconselhamento bíblico, é necessário ver o que a Bíblia fala sobre o que família.

A definição de família dada foi: “Família é uma instituição criada por Deus e formada por um homem e uma mulher unidos por Deus no ato da aliança e normalmente abençoada com uma geração de filhos. Existe para manifestar a glória de Deus de múltiplas formas”.

O texto base é Gênesis 2.24. E, conforme este texto, por ser uma criação divina, há um padrão estabelecido. A sociedade pode até mudar (e muda, está em constante mudança), mas o padrão de Deus, não. Outro ponto importante é o “deixar pai e mãe”, pois quando não há esse rompimento de forma bíblica, há desgastes na relação entre os cônjuges.

Família e aconselhamento bíblico: três visões

A família é formada por uma aliança e é esse compromisso, e não o sentimento, que a mantém. Entretanto, é importante saber que há três visões sobre o casamento:

  1. Sacramental: é a da Igreja Católica. Descarta qualquer possibilidade de divórcio.
  2. Ato contratual: unidos pelas vontades. Se desfaz facilmente quando não há mais vontade. Certamente esta é a visão mais comum atualmente.
  3. Pactual: através de uma aliança. Pode ser desfeita?

Para o aconselhamento bíblico de família é preciso ter a visão estabelecida e a partir daí, aconselhar.

Regra geral e propósito da família

Sem dúvida, a regra geral é ter filho, mas há situações em que isso não é possível. Entretanto, marido e mulher já são uma família. São uma só carne. Filhos não são o centro.

Em relação ao propósito, assim como qualquer outra coisa, é glorificar a Deus (I Coríntios 10.31). O casamento materializa realidades bíblicas, como por exemplo a Trindade – três em um, do mesmo jeito em que marido e mulher são uma só carne. Além do relacionamento de Cristo com a Igreja. Por isso é importante cada um cumprir seu papel (Efésios 5.22- 6.4).

Família e Aconselhamento Bíblico: o que está em jogo?

Certamente, devemos ter a ciência do que está em jogo é a glória de Deus e não o bem estar do casal. Por isso o padrão bíblico deve ser o critério de comparação no momento do aconselhamento bíblico. a partir dai têm-se os passos para a mudança.

Segunda Palestra: “E se eles não vierem? Diretrizes bíblicas para uma vida ‘sem’ filhos”

Antes de mais nada, essa palestra foi ministrada pelo Pastor Abner. Ele trabalha com jovens na Segunda Igreja Batista de Macaé/RJ.

Inicialmente ele lembrou dos versículo que associam herança, recompensa, honra, grande alegria a filhos (Salmo 127. 3-5; Provérbios 17. 6; João 16.21). Como também afirma que este é um tema pouco abordado na igreja, embora, esperar em Deus para ver se terá ou não filhos é tão abençoador quanto ter.

Certamente, quando não se pode ter filho, além de esperar em Deus, pode recorrer à reprodução assistida ou adoção. Todavia, a mais criticada é a escolha de esperar em Deus.

Isto é porque:

  1. Há quem encare a gravidez como um grande sonho; e quando isso não acontece chega até a desconfiar da bondade de Deus. Contudo devemos saber que Deus tem seus próprios planos e Ele não é obrigado a seguir nossa agenda (Provérbios 16. 1,6; Tiago 4. 13-17).
  2. Às vezes há críticas e pressão da família, igreja… Exemplo disso foi Sarai e Ana. Mas é necessário depender do Senhor nesse momento de pressão e ser treinado na perseverança.
  3. Há casais que pensam que só terão propósito e significado quando gerarem filhos. Mas é Cristo quem nos dá significado, identidade, valor, propósito (Efésios 1. 11,12).
  4. Certamente também há o medo da solidão e falta de cuidado na velhice. Entretanto esse medo não tem sentido para quem é filho de Deus, está no corpo de Cristo; que pertence a uma igreja. Inegavelmente Deus garante nosso cuidado (Mateus 6. 25-34; I Timóteo 5. 3-4).

Família, aconselhamento bíblico e idolatria

Uma coisa que deve ser analisada com cuidado é ver se a gravidez/ter filhos já se tornou um ídolo. Deus se opõe a isso (Êxodo 20. 3-5a). Calvino já disse que nosso coração é uma fábrica de ídolos.

Solução quando não se tem filho

A solução é o evangelho! Pois é Cristo que nos dá significado. Sem dúvida todas as coisas cooperam para o bem e devemos ter uma nova perspectiva. Conforme vemos na bíblia, ter ou esperar no Senhor sem garantia de ter filhos é abençoador.

E por quais motivos esperar em Deus é abençoador?

  1. Melhor condição de servir a Deus com mais inteireza (I Coríntios 7. 26, 27, 32-35). Ser solteiro tem diferentes preocupações em comparações aos que são casados. De igual modo, geralmente, quem não tem filhos têm menos demandas.
  2. Há uma maior possibilidade em cuidar de pessoas idosas (pais, idosos da igreja). Podem dar mais assistência (I Timóteo 5. 3,4).
  3. Maior disponibilidade para discipular jovens ( Atos 18. 26; Tito 2.3,4).
  4. Podem ter maior disponibilidade de contribuir para ajudar os necessitados. Ilustrar o evangelho de Cristo ( II Coríntios 8.9).

Como já foi falado anteriormente, quando não se tem filhos, há três possibilidades: reprodução assistida, adoção e esperar em Deus. Nenhuma é mais santa que a outra. Qualquer uma será pecaminosa se a motivação for.

Por fim, em relação a não ter filhos, é possível sim ter uma vida de missão, alegria, pois é Cristo que proporciona isso.

Terceira palestra: “Mulheres e sexo: Verdades que libertam

Esta palestra foi ministrada pela Larissa Ferraro. Ela acabou de lançar um livro: Mulheres e Sexo – Mentiras que escravizam e  Verdades Bíblicas que Libertam.

Inicialmente, ela relatou que este é um assunto muito pensado, mas pouco abordado na igreja. E quando a igreja não ensina, o diabo vira professor. Ele atacou a primeira família e continua até hoje; pois ele sabe que destruindo a família teremos igrejas fracas.

Dentre as muitas mentiras pregadas neste mundo que jaz no maligno, seis foram citadas:

  1. Sexo é impuro, vergonhoso e por isso não deve ser falado na igreja;
  2. Ter desejo sexual é pecado, como também a mulher tomar iniciativa;
  3. Quando se ignora o desejo do marido, com o tempo ele esquece;
  4. Negar sexo ao marido não é errado;
  5. Entre quatro paredes vale tudo;
  6. Se você não tiver experiências fabulosas todas as vezes que se relacionar com o marido, existe um ou mais problemas com vocês.
E as verdades são:
  1. O sexo foi criado por Deus. E é justamente por isso que se deve falar na igreja. As pessoas devem ser ensinada de forma bíblica.
  2. Desejo é normal e deve ser desfrutado dentro do casamento. E em Cantares 5. 19 e 7.11 vemos a mulher tendo a iniciativa.
  3. A mulher deve cuidar do desejo do marido. É preciso saber que homens e mulheres são diferentes. Além do que, as vezes há uma inversão, onde no namoro há relacionamento sexual e quando se casam param. O diabo tem suas artimanhas para desconfigurar o que Deus criou.
  4. I Coríntios 7. 3-5. A Bíblia ensina a não negar. Amar é se doar pelo outro.
  5. Tudo deve ser feito para a glória de Deus. E para que isso aconteça, deve ser realizado conforme Deus instrui em sua Palavra. Lembrando que o sexo é uma expressão de bem pelo outro.
  6. A preocupação não é na perfomace. As vezes, o sexo vira um ídolo. O cristão deve saber que alegria profunda, é apenas encontrada em Deus. Nada terreno se compara ao relacionamento com Deus.

O bom é que, apesar de todo engano, há graça e misericórdia no trono de Deus. E é por isso que existe o aconselhamento bíblico, pois tudo aponta para Cristo e sua obra.

Quarta palestra: “Expectativa X Esperança: discernimentos bíblicos e aplicações”

O palestrante foi o pastor Jayro Cárceres, da Igreja Batista Pedras Vivas, em São Paulo. Ele iniciou e coordena o NUTRA e o NUTRA Publicações.

Expectativa X esperança

Inicialmente ele deu a definição de Expectativa e de Esperança.

Enquanto que expectativa é um estado de apreensão, de intensidade variável, por algo que se deseja muito que se concretiza; a esperança é fundada em supostos direitos, possibilidades, probabilidades ou ainda promessas.

Sem dúvida, quando o tema é família e aconselhamento bíblico, saber essa diferença é fundamental. Pois expectativa tem uma conotação idólatra e a esperança uma conotação piedosa e desejável.

Inegavelmente a esperança bíblica está ligada à pessoa de Deus, por isso as circunstâncias não importam. Quando se tem uma esperança, tem também descanso, pois sabe que Deus tem o controle de tudo. Certamente há ciência de que Deus tem o plano perfeito, e é justamente por isso que não há confusão.

Além do mais, a esperança traz perseverança alegre neste mundo caído; pois a base da esperança são as Escrituras.

Desejos, Idolatria e esperança

Enquanto que expectativa está mais para desejos, a esperança é realista. a primeira tem base humanista, releva idolatria, cria pensamentos fantasiosos, geram problemas. Já a esperança melhora relacionamentos e a solução de conflitos.

Diante disso o pastor fez o seguinte questionamento: “Por que eu quero o que quero?”. Acredito que é interessante sempre fazermos essa pergunta.

Por fim, ele recomendou alguns livros da Nutra (eu também recomendo!).

Sem dúvida a nossa oração deve ser para que Deus conforme nosso coração ao dEle. Para que tenhamos confiamça nos planos dEle, contentamento nEle. Que tenhamos esperança.

Conclusão do Família e aconselhamento bíblico

Ter em mente o conceito bíblico de família é fundamental para um aconselhamento verdadeiramente bíblico. Pois viver neste mundo de acordo com as instruções de Deus é maravilhoso!

Gosta do nosso site? Dá uma olhada no nosso instagram (Clique aqui).

E, para ler mais artigos sobre aconselhamento bíblico, clique aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.