II Coríntios 5. 11-17

II Coríntios 5

O estudo em II Coríntios 5. 11-17 foi ministrado pelo Pastor Augustus Nicodemus.

Como vimos nos estudos passados em II Coríntios, Paulo continua a enfrentar as dificuldades, pois entende que o motivo de seu sofrimento é glorificar a Deus.

Por isso ele faz uns apelos aos coríntios. O primeiro é que eles, diante de tudo, recebam seu ministério como de Cristo e por isso dá três motivos (que se encontra em II Coríntios 5. 11-17). Segundo, Paulo pede que os coríntios se reconciliem com Deus e, em terceiro, que rejeitem os falsos mestres.

Motivações para que os coríntios recebam Paulo como apóstolo em seus corações. II Coríntios 5. 11-17

1º motivo

O primeiro motivo se encontra nos versículos 11 e 12: Temor que é devido ao Senhor (reverência ao Senhor).

Paulo conhece jesus e conhece o temor que deve ser dado a Ele. Ele também sabe que vai prestar contas a Deus, pois terá um juízo no futuro e Cristo será o juiz. Por isso convencia as pessoas a crerem em Cristo.

Certamente é preciso esclarecer que o anunciar do Evangelho por Paulo era feito com a motivação correta – temor ao Senhor e não uma gloria externa tal como lei, culto externo… – e esta deveria ser a de todos os que pregam.

2º motivo

O segundo motivo é o amor pelo Senhor. Paulo poderia ser considerado o louco do caminho de Damasco, mas a Palavra é loucura! O amor de Cristo o constrange. Uma outra coisa que precisa ser esclarecida neste texto (v. 13-16) é que ele não é base para o universalismo (que afirma que todo o mundo será salvo). Sem dúvida precisamos ter cuidado com a palavra todo, pois nesse caso significa todos os que creem.

Então, por causa desse amor que constrange Paulo, como ele pode ficar calado? (constranger aqui significa dominar, controlar). Paulo anunciava porque não dependia dos elogios dos homens, mas fazia tudo para a glória de Deus.

E, o terceiro motivo, visto nos versículos 16 e 17, é a nova criação em Cristo, pois há mudança de cosmovisão. A mentalidade é transformada ao conhecer Cristo e ao estar em Cristo a perspectiva das coisas também é alterada.

Em Cristo sabemos quem somos, a razão das coisas e para onde vamos. Passamos a ver as coisas da maneira correta. Co a morte de Cristo vivemos com Ele e temos a vivência da realidade da nova criação. Pois, como diz o Pastor Hernandes Dias Lopes em seu comentário, “estar em Cristo é participar antecipadamente da nova crianção de Deus”.

Conclusão em II Coríntios 5. 11-17

Por fim, neste texto vemos que as motivações determinam nossa ação, e porque estamos em Cristo as três motivações ditas acima (temor ao Senhor, amor de Cristo e nova criação) também devem ser a nossa.

O pastor Augustus Nicodemos falou também que quer ser pastor pare e pense o que o leva a querer isso, e aos que já são pastores, ele diz que nunca é tarde para reavaliar os motivos.

Por isso é urgente meditar na Palavra para ter o temor a Deus, para amar e por ser nova criatura. Quando estamos saturados pela Palavra de Deus, tomamos decisões certas.

Para mais textos sobre II Coríntios, clique aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.