Minimalismo e o Contentamento

Minimalismo

Essa semana assisti a um documentário no Netflix. Foi o “Minimalism: a documentary about the important things”. Inegavelmente, ao assisitir, fiz conexões com o Evangelho. Não que o minimalismo seja uma regra pra quem crê no Evangelho de Cristo, mas quem crê em Cristo sabe o que realmente é importante nessa vida.

Inicialmente vou falar de uma pergunta que um homem fez a outro que trabalhava no mesmo local: “Por que diabos está tão feliz?”. E a resposta durou uns vinte minutos falando sobre minimalismo. Que é uma simples mensagem de viver mais livre, com menos. Ao contrário do que se prega que, quanto mais, melhor.

A minha mente fez logo uma analogia com um filho de Deus. Pois, independentemente das circunstâncias, ele é alegre. Claro que tem momentos tristes, mas não supera a alegria da salvação em Cristo.

E é justamente por isso que pode viver bem, independentemente da quantidade das coisas.

Um outro ponto interessante foi a constatação de que todos estão buscando sentido para suas vidas. O crente sabe porque existe, o propósito, o sentido da sua vida. Tudo é Cristo! Todavia, há pessoas que buscam sentido nas coisas e coisas satisfazem temporariamente. Por isso há esse consumismo exacerbado: a pessoa coloca sua identidade no que possui, ao invés de em Cristo e no que Ele fez por ela. Tenta preencher o vazio dentro dela com coisas e se frusta, pois só quem pode preencher é Deus.

Minimalismo: necessidades básicas

No documentário é deixado claro que todo mundo precisa ter suas necessidades básicas atendidas. E na Bíblia vejo dizendo que, tendo o que comer e o que vestir estejamos contentes, satisfeitos (I Timóteo 6. 6-10). Desde lá no Éden vemos que Deus sempre deu alimentação e vestimenta. O povo no deserto, tinha o maná e as roupas não se estragaram (Neemias 9. 20-21) e, no novo testamento, vemos Cristo ensinando que não devemos nos preocupar com o que comer e o que vestir (Mateus 6. 25-33). A partir disso, é nítido que comer e vestir é o básico, de acordo com a Bíblia e, se temos isso, devemos estar contentes!

Mas somos miseráveis, e tendemos a pensar que com mais dinheiro, mas segurança teremos. Que engano. Que pecado! Riqueza nenhuma é capaz de dar segurança. Só algo/alguém absolutamente estável por si mesmo é capaz disso, ou seja, apenas Deus.

Enquanto dormem…

Se lermos mais a Bíblia poderemos ver que é vão acordar cedo e dormir tarde pensando que a força do nosso braço dará nosso sustento, enquanto que vemos que Deus dá aos seus enquanto dormem (Salmo 127. 2).

Aqui vemos a diferença entre quem ama a Deus e o idólatra. Pois quem ama a Deus e o conhece, descansa .Embora isso não signifique passividade e muito menos preguiça (basta lermos Provérbios que veremos isso ), pois desde o paraíso que o homem trabalha (vocação, trabalha por obediência ao chamado divino e por isso faz com esmero), mas o sustento sempre foi proveniente de Deus.

Meditação

Tem um trecho do documentário que fala sobre meditação, que é uma técnica para se encontrar com o bem-estar, que é um antídoto para a preocupação, mas sabemos que a meditação no Evangelho é que pode fazer isso. Pois é no Evangelho, em Cristo, que encontramos razão para viver. O sentido da vida e o “antídoto” para a preocupação, para a ansiedade. Ele nos satisfaz! A partir dEle todas as demais coisas se encaixam e passamos a usar as coisas e amar as pessoas, pois o oposto nunca dá certo. É pecado.

Minimalismo e bênçãos divinas

Entretanto, convém esclarecer que Deus pode dar muitas coisas materiais a seus filhos. A Bíblia está cheias de exemplos de pessoas piedosas que eram ricas! Mas, sem dúvida, ao dar, Deus sabe o que passa no coração de cada pessoa. Deus sonda o coração e sabe onde a pessoa deposita a segurança. O Senhor ama seu povo e tudo que dá e tira é por amor, é por causa de um bem eterno. Deus sabe trabalhar no coração de seu povo, tirando os ídolos. A ponto de podermos falar como Jó: Deus me deu, Deus tomou, bendito seja o nome do Senhor! (Só em Cristo podemos falar isso).

Desse modo, percebemos que o minimalismo é interessante e o documentário mostra que quanto menos coisas menos trabalhamos teremos. Entretanto, o principal é como está nosso coração em relação às coisas, pois temos um Pai que supre nossas necessidades e por isso devemos estar contentes, satisfeitos. Deus sabe o que faz e o que nos dá, nós, às vezes, não sabemos nem pedir (Tiago 4. 2-3).

Descansemos nesse Deus que cuida de cada detalhe da nossa vida. E oremos para que saibamos lidar com todas as coisas que Deus nos dá (ou tira).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.