Pregando o evangelho para você mesma.

O título desse artigo é o mesmo de um tópico de um capítulo do livro “Vislumbres da Graça: valorizando o evangelho na rotina do lar”, de Gloria Furman.

Graças a Deus li justamente no momento em que, mais uma vez, estavam surgindo dúvidas, temores sobre o futuro. O que eu precisava naquele exato momento era pregar a mim mesma. Não minissermões (termo usado por Glória), mas, com diz no livro, enxergar as coisas como uma oportunidade de conversar com Deus, falar sobre Deus e receber sabedoria vinda da Bíblia. A autora ainda diz: “Isso significa que a sua fé olha para frente, para as promessas de Deus cumpridas para você eternamente; ao mesmo tempo que ela olha para trás, para a cruz, e crê que a morte de Cristo comprou essas promessas por você”.

Eu precisava voltar ao Evangelho.

Outra frase do livro bastante pertinente para o momento foi: “A centralidade do ‘eu’ em nossas vidas acaba tendo precedência sobre meditar acerca da grandeza do Santo. Também nos distraímos facilmente com coisas insignificantes do ponto de vista eterno e ficamos obcecadas com trivialidades mesquinhas”.

Era isso que eu estava fazendo. Estava focada na minha vida como um fim em si mesmo. Agindo como se eu definisse meu futuro, como se eu não tivesse um Pai celestial, que é o criador e sustentador de tudo que há! Que é o Rei Soberano!

(Eita mulher de pouca fé eu sou!)

Como posso desconfiar das promessas de Deus pra mim?! Não promessas de riquezas, bens, luxos etc (na Bíblia não tem teologia da prosperidade, Deus dá riquezas a quem ele quer), mas a promessa de que Ele estará comigo até o fim (Mateus 28.20). A promessa de que não preciso me inquietar pelo futuro, mas devo buscar o Reino de Deus e a sua justiça, pois o comer, o beber, o vestir serão acrescentados (Mateus 6. 25-34). Devo ser grata, devo ter contentamento, pois eu tenho o que comer e o que vestir e isso deve me deixar satisfeita (I Timóteo 6. 6-8).

Se Deus me manteve até hoje por qual motivo eu desconfiaria do seu cuidado no amanhã?

Não vamos desonrar a Deus com nossa desconfiança (caso você, assim como eu, tenha momentos de ansiedade quanto ao futuro); vamos viver de acordo com a nossa fé! E que sempre preguemos o Evangelho, não só aos outros, mas a nós também. Sempre precisamos ser lembrados das promessas bíblicas.

Que Deus nos ajude!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.