II Coríntios 9. 1-2

Quatro capítulos

Neste estudo, o Pr. Augustus Nicodemos fez uma introdução para explicar a mudança de tom do apóstolo Paulo nos quatro capítulos finais de II Coríntios. E já fala que a igreja de Cristo está sujeita ao erro, mas na vinda de Cristo, será glorificada. Esta é atualmente a igreja militante e tudo pode acontecer, porque é composta de pecadores salvos.

Como foi visto em estudos anteriores, até o capítulo 9 Paulo estava alegre pois a carta severa tinha fez efeito e por isso escreve sobre contribuição. Todavia, nos quatro capítulos finais (10 a 13), Paulo muda o tom. Há quem ache até que esta é a carta severa. No seu comentário, o Pastor Hernandes Dias Lopes também traz essa informação no seu livro.

Para uma melhor compreensão, o Pastor dividiu este estudo em quatro partes.

Na primeira ele recapitula os fatos, na segunda justifica a mudança de Paulo, na terceira fala sobre a estrutura de como será dividido os estudos dos capítulos de 10 a 13 e na quarta parte serão as aplicações.

Recapitulando os fatos

No fim da segunda viagem missionária, Paulo passou em Corinto. Lá plantou uma igreja (Atos 18). A variedade de pessoas que haviam sido alcançadas pelo evangelho era imensa (I Co 6).

Em relação à igreja de Corinto, é preciso esclarecer que as pessoas se reunião em várias casas, mas a igreja era apenas uma. Há um crescimento da igreja. A situação estava boa, inclusive Paulo falou até sobre oferta! Até que depois de dois anos, ele vai para Antioquia.

Problemas na igreja

Após isso, soube dos problemas. Isso é natural. Mas a igreja não estava sabendo lidar com alguns casos, pois lá tinham pessoas que viviam como os descrentes). Diante disso, Paulo envia a primeira carta (esta se perdeu) – I Coríntios 5.9. Entretanto, a situação piorou, pois tinham questionamentos sobre várias coisas. Tinha também divisão em quatro grupos (Paulo, Pedro, Apolo e Cristo), ou seja, aproximadamente apenas um quanto reconhecia Paulo como apóstolo.

Em I Coríntios vemos que tanto a família de Cloe, quanto uma comissão (Fortunato, Acaio e Stéfana) falaram sobre esses questionamentos. Então Paulo escreve uma segunda carta (é I Coríntios que temos acesso), para tratar dessas questões. Porém, não produziu o efeito esperado, apesar de ser bem completa.

Diante disso, Paulo faz uma segunda visita à Corinto e tudo indica que Ele não foi bem recebido, sendo uma visita penosa, onde ele saiu triste, humilhado e não confrontou a igreja. Após isso, ele escreve a carta severa, que, assim como a primeira, se perdeu. Paulo ficou preocupado, pensando se teria sido pesado demais. Por isso ele mandou Tito para Corinto afim de saber o efeito da carta.

Para alegria Paulo, Tito traz ótimas notícias. A carta severa produziu o efeito esperado, estava tudo em ordem, mas ainda tinha um grupo de falsos mestres que estavam falando mal de Paulo. Eram os judaizantes. Nesse momento, Paulo escreve uma quarta carta, que é a de II Coríntios.

Nesta carta, Paulo agradece o efeito da carta severa, defende seu ministério (capítulos 2 a 7), instrui sobre contribuição (capítulos 8 e 9).

Todavia, algo aconteceu, mudou em Corinto. “Azedou” a relação entre Paulo e a igreja. E o que tudo indica é que os falsos mestres enganaram mais pessoas e por isso a mudança drástica de Paulo.

Justificativa dos quatro capítulos

Nos capítulos 10 a 13 vemos um Paulo indignado com a igreja de Corinto. Ele estava irônico, tinha uma ira santa. Fala que fará uma terceira visita para disciplinar. Ele também se defende das críticas, das acusações e ataca os inimigos (os falsos mestres). E assim ele envia a quarta carta (II Coríntios – capítulos de 1 a 9 “quando tudo estava bem” e os capítulos de 10 a 13 “quando houve os problemas” – por Tito e os outros dois irmãos.

Estrutura dos quatro capítulos

Estes quatro capítulos estão estruturados da seguinte forma:

  1. Primeiramente, Paulo de defende das acusações – (10.1-12.3). São cinco acusações:
    1. Acusaram Paulo de ter uma estratégia carnal (10.1-12), pois afirmam que ele é um covarde ao ser manso, humilde presencialmente e quando está presente, manda uma carta severa.
    2. Acusaram de Paulo ter invadido território não autorizado (10. 13-18), já eles tinham cartas de recomendação.
    3. Falavam que Paulo era fraco na pregação (11.1-6).
    4. Diziam que Paulo era arrogante por não ter recebido a ajuda em dinheiro (11.7-15). Aqui é aquele caso, Paulo não aceitou o dinheiro, falaram mal, mas se ele tivesse aceito, provavelmente iriam falar também.
    5. Falavam que Paulo era um fraco, tolo, tímido por não falar das vitórias, conquistas (11.16-12.3).
  2. Segundo, Paulo revela os planos de fazer a terceira visita. E diz que vai investigar e castigar (12. 14- 13.10).
  3. Por fim, nos versículo de 11 a 13, do capítulo 13, Paulo conclui a carta.

Aplicações

  1. Mesmos os mais fiéis estão sujeitos aos desapontamentos. Paulo viu que a situação piorou. Deus não o poupou das frustrações. Da mesma maneira, quem serve pode se decepcionar, se frustrar, pois a igreja esta sujeita ao pecado.
  2. Certamente a crise da igreja de Corinto nos lembra que igrejas passam por crises. Altos e baixos.
  3. Maus exemplos nunca deveriam nos fazer desanimar. Sem dúvida Deus preserva os seus, a sua igreja. A igreja militante tem seus problemas, mas tem uma igreja fiel. Infelizmente há que use isso para ser um desingrejado.
  4. Devemos lembrar que sempre haverá falsos mestres. Deus é fiel e guarda seu povo. Precisamos estar alertas e com conhecimento para discernir estes.

Gostou do nosso blog? Se sim, dá uma olhada no nosso instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.