Relacionamentos saudáveis

Relacionamentos saudáveis

Este texto, sobre relacionamentos saudáveis, tem muito a ver com o outro que já postei aqui: Marcas de uma igreja cheia do Espírito Santo.

Antes de mais nada, a igreja é uma família! Temos Deus como Pai e fazemos parte do corpo de Cristo. Não fomos inseridos no corpo de Cristo por acaso, mas para adorar a Deus e cuidar uns dos outros. Sem dúvida, sabemos que temos dons, habilidades que Deus nos de e devemos usá-los para servir o próximo.

Contexto histórico

Inicialmente, convém fala um pouco de como se deu a fundação da Igreja em Tessalônica. O relato está em Atos 15.36-18.23 e essa igreja foi fruto do trabalho da segunda viagem missionária de Paulo.

Especificamente no capítulo 17 de Atos, vemos o relato de Paulo e Silas em Tessalônica. E, na sinagoga, Paulo prega o Evangelho: “Expondo e demonstrando ter sido necessário que o Cristo padecesse e ressurgisse dentre os mortos; e este, dizia ele, é o Cristo, Jesus, que vos anuncio” (Atos 17. 3).

Alguns foram convertidos, mas muitos os perseguiram afirmando perante as autoridades que: “Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui” (Atos 17. 6b).

Por causa de perseguição dos judeus, Paulo e Silas passaram apenas três semana lá, todavia essa jovem igreja era firme e saudável. Com essa informação, vemos que o agir, literalmente, era do Espírito Santo, pois não dependeu da permanência de Paulo lá para torná-la uma igreja saudável. Paulo, assim como nós, é apenas um instrumento usado por Deus.

Uma lição que aprendemos com esse relato é sobre aproveitar bem as oportunidades que Deus nos dá de pregar o Evangelho.

I Tessalonicenses

Passado algum tempo, Paulo envia Timóteo à Tessalônica com a finalidade de ver como os irmãos estavam e auxiliá-los no que precisassem. E as notícias foram as melhores. Sem dúvida, naquela igreja tinha relacionamentos saudáveis, era uma verdadeira igreja de Cristo. Após isso, Paulo escreve uma carta à igreja em Tessalônica, que é I Tessalonicenses.

Logo no início, I Ts 1.5, Paulo diz: “Porque o nosso evangelho não chegou até vós tão somente em palavras, mas, sobretudo, em poder, no Espírito e em plena convicção, assim como sabeis ter sido nossos procedimentos entre vós e por amor de vós”. Ou seja, a pregação ali foi realizada no poder do Espírito.

Nesta carta, lemos que o apóstolo dá graças a Deus por aquela igreja. No capítulo 3, dos versículos 1 ao 10, vemos como Paulo foi consolado por ver a situação em que a igreja estava, dos relacionamentos saudáveis que tinha naquela igreja.

I Tessalonicenses 5

Este capítulo é iniciado com Paulo falando sobre a iminente vinda do Senhor e os exorta sobre a necessidade da vigilância. Se Paulo falava isso naquela época, nós devemos estar mais vigilantes ainda!

O interessante no versículo 11 é quando ele diz: “Consolai-vos, pois, uns aos outros e edificai-vos uns aos outros, como também estais fazendo”. Essas atitudes estão presentes nos relacionamentos saudáveis!

Relacionamentos Saudáveis

I Tessalonicenses 5. 12-13

William Barcley, comentando sobre essa carta, usa o título “Conselhos a uma igreja”, para o trecho de I Tessalonicenses 5. 12-22 e diz que esses conselhos devem ser ponderados por todo cristão.

Primeiramente, os versículos 12 e 13, somos aconselhados a respeitar os líderes. O trabalho destes são de grande responsabilidade e é por isso pelo qual devemos acatar com apreço cada pessoa que foi chamada por Deus para exercer liderança. Em Hebreus 13.17 lemos: “Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles; pois velam por vossa alma, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque isto não aproveita a vós outros”. Willian Barcley afirma: “Não é questão de prestígio pessoal, é o trabalho o que torna grande ao homem; sua insígnia de honra é o serviço que realiza”.

No final do versículo 13, temos: “Vivei em paz uns com os outros”. É impossível falar a mensagem de Cristo, do amor, sem viver em paz. Para ter relacionamentos saudáveis, as pessoas precisam entender que é essencial viver em paz.

I Tessalonicenses 5. 14-16

Nesse trecho, somos exortados a cuidar dos nossos irmãos. Inegavelmente, temos responsabilidades uns com os outros. No Salmo 133 lemos: “Como é bom e agradável quando os irmãos convivem em união”.

E, em Atos 2. 42-47, ” Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos. Os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade. Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em casa e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava diariamente os que iam sendo salvos”. Esse trecho vimos em um texto já publicado aqui!

Essa expressão “uns aos outros” é bem comum no Novo Testamento:

João 13. 34-35: “Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros“.

Sem dúvida, a base de relacionamentos saudáveis é o amor. Deus é amor. E apenas amando é que vamos cuidar, em todos os sentidos, dos nossos irmãos.

“Uns aos outros”
  • Romanos: 12.10: “Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a vocês”.
  • Gálatas 5.13: “Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne; ao contrário, sirvam uns aos outros mediante o amor”.
  • Efésios 4.32: “Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo”.
  • Colossenses 3. 16: “Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos outros com toda a sabedoria e cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus em seu coração”.
  • I tessalonicenses 5. 11: “Por isso, exortem-se e edifiquem-se uns aos outros, como de fato vocês estão fazendo”.
  • I João 1. 6-7: “Se afirmarmos que temos comunhão com ele, mas andamos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado”.
  • I Pedro 1.22: “Agora que vocês purificaram a sua vida pela obediência à verdade, visando ao amor fraternal e sincero, amem sinceramente uns aos outros e de todo o coração”.
  • E, apesar de não ter a expressão “uns aos outros”, em II Coríntios 13: 11, vemos a mutualidade que deve-se ter entre os cristãos: “Sem mais, irmãos, despeço-me de vocês! Procurem aperfeiçoar-se, exortem-se mutuamente, tenham um só pensamento, vivam em paz. E o Deus de amor e paz estará com vocês”.

Acredito que possa ter outras referências com a espressão “Uns aos outros”, mas finalizo essa parte com essas.

Corpo de Cristo

A igreja é o corpo de Cristo e, como acontece no corpo humano, cada membro tem a sua função para o benefício do corpo.

Conforme falei no início desse trecho, nesses versículos (14-16) somos exortados a admoestar, a consolar os insubmissos; a consolar os desanimados nas suas provações, devemos reanimá-los; a amparar os fracos, os que erram , é literalmente segurar os fracos; a ser longânimos, pacientes com todos. É como o pastor Hernandes Dias Lopes diz: “Precisamos exercitar a paciência que vai além, que oferece a outra face, que anda a segunda milha, e abençoa até mesmo aqueles que nos maldizem”.

Somos exortados a não retribuir mal com mal. É algo divino pagar o mal com bem. Devemos sempre lembrar da misericórdia de Deus, pois ele não nos trata como merecemos, mas sim com graça.

E, no versículos 16, Paulo diz para que regojizemos sempre! A alegria é uma das partes do fruto do Espírito. Pois ela não depende das circunstâncias, a alegria é uma pessoa, é Cristo, a boa nova!

“O verdadeiro cristianismo anima, não deprime”. William Barcley.

I Tessalonicenses 5. 17-18

Em uma igreja saudável, há oração (“Orai sem cessar”). Orar juntos com os irmãos deve ser algo natural, pois ninguém pode ser crente sozinho.

Sem dúvida, uma igreja autêntica também é grata. Sem dúvida, devemos dar graças por tudo, pois, biblicamente, sabemos que tudo coopera para nosso bem (Romanos 8. 28-29). Claro que é difícil agradecer por momentos difíceis, mas devemos sempre lembrar que Deus é soberano. Ele sabe o que faz e, conhecendo seus atributos, confiamos nele, sempre.

I Tessalonicenses 5. 19-20

Nesses dois versículos, somos exortados a valorizar o Espírito santo, a não apagá-lo. E essa expressão de apagar, se relaciona a fogo mesmo, que é usado como símbolo do Espírito santo. Vemos isso, por exemplo em: Mt 3.11; Lc 3.16; At 2.3; Rm 12.11; 2Tm 1.6.

“O fogo precisa ser mantido aceso no altar do coração. Apagamos o fogo quando cedemos ao pecado ou quando deixamos de orar e obedecer à Palavra”.

Pastor Humberto Ferreira

Da mesma forma, não devemos desprezar as profecias, que é a Palavra inspirada de Deus.

I Tessalonicenses 5. 21-22

De acordo com o versículo 21, devemos exercer discernimento espiritual, julgando as coisas, retendo o bem. Pois, do mesmo modo que antigamente tinha os falsos profetas, ainda hoje há. Entretanto, não temos desculpas por sermos enganados, já que temos acesso à Bíblia e podemos fazer como os bereianos faziam (Atos 17. 11: “Ora, estes de Bereia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda avidez, examinado as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim”).

E, finalizando esse trecho, Paulo nos exortar a fugir de toda forma de mal. O cristão zela por seu testemunho e por isso não se envolve com coisas duvidosas.

Relacionamentos Saudáveis: Conclusão

Inegavelmente, relacionamentos saudáveis só são possíveis pela ação do Espírito Santo. Todavia temos a responsabilidade de exercer o que Deus nos chamou para fazer como membros do corpo de Cristo, para a glória de Deus e edificação do próximo.

Assim, que Deus nos ajude a obedecê-lo, fazendo o que pela Palavra sabemos que deve ser feito em todos os relacionamentos que Deus nos colocar.

Uma dica de livro sobre esse tema é o Aconselhando uns aos outros. 8 maneiras de cultivar relacionamentos saudáveis dentro da igreja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.