Enxergando o amor de Deus numa situação difícil

Situação difícil

Como você fica quando uma situação bate a sua porta? Como você fica quando o dinheiro acaba? Quando um relacionamento termina? E quando saúde fica péssima ou quando você que é pai/mãe enterra um filho, por exemplo (falam que esse é um dos piores sofrimentos que os pais podem ter)? É verdade que o enfrentamento de situações difíceis pode fazer com que a gente se rebele ou desfaleça.

O rei Davi

Sem dúvida, há muita coisa na Bíblia sobre Davi. Mas há um fato bem conhecido e é sobre este que iremos focar. É o ocorrido entre Davi, Bate-Seba, Urias e Natan. É sobre o adultério, gravidez, morte, confronto, arrependimento/confissão e perdão.

E aqui já podemos perceber que quem teme a Deus, ao ter os olhos abertos, não se justifica, mas se quebranta; reconhece que seu pecado foi contra Deus.

Como é possível se reerguer depois de uma situação difícil? Depois das notícias ruins? (II Samuel 12.15-25)

Cada um sabe sua luta. Inegavelmente somos frágeis ao lidarmos com tragédias.

Ao lermos a história na Bíblia, vemos que Davi sofre muito ao ver seu filho doente a ponto de como seus servos ficam perplexos temendo que o menino morra. Entretanto, algo estranho acontece. A criança morre. E, ao contrário do que os servos esperavam, Davi se levanta, come. Se levanta e come quando a situação piora! (Um fato curioso é que quando os pais morrem, os filhos são chamados de órfãos, quando um cônjuge morre, o outro é chamado de viúvo, mas quando os pais perdem o filhos, não há nome para isso, revelando que não é algo comumente esperado).

Consequências do pecado: situações difíceis

Às vezes, quando vemos as consequências do pecado de Davi, pensamos como se Davi tivesse pago um altíssimo preço. Esta é a cosmovisão do mérito, a cosmovisão dos amigos de Jó, dos fariseus perguntando quem pecou para que o menino nascesse cego,e a nossa cosmovisão. É Deus punindo. É o sofrimento como punição.

Todavia esse sentimento, essa cosmovisão nos destrói, como se de alguma maneira pudéssemos compensar um débito. As vezes podemos concordar, dizendo que não prestamos, autoflagelo, pois devemos pagar pelos nosso próprios pecados. Entretanto, devemos ter a ciência de que isso é o ministério de satanás, o acusador. Quando somos consumidos pela cosmovisão do mérito, ficamos paralisados.

Porém, as vezes achamos que é o contrário. Que não precisa de tanto sofrimento, pois todo mundo peca. Pensamos que por isso Deus é injusto. Mas só podemos enfrentar a situação quando a compreendemos. E Davi entendeu o que Deus estava fazendo: Ele estava fazendo uma cirurgia para a cura e não um ataque para a morte. Pois o que muda entre uma “faca” para cirurgia e uma para o assassinato é a intenção de quem controla a situação.

Entendendo a situação difícil (II Samuel 12.13)

Neste versículo temos o resumo do Salmo 51. Davi diz: pequei contra o Senhor; e o Senhor diz que perdoou.

Certamente, o que aconteceu com Davi não era perseguição ou punição porque Deus já o tinha perdoado. Uma coisa que sempre devemos lembrar é que não podemos pagar por nossos pecados, pois quem recebeu a ira de Deus por eles foi Cristo na cruz. Nenhuma punição para nós seria suficiente para pagar nossos pecados.

O que tinha acontecido foi que Davi tinha diminuído Deus e aumentado seus próprios interesses. E quando isso acontece usamos as pessoas para nos satisfazer e não a servimos. Davi usou Bate-Seba . Davi a tinha como um objeto para seu desfrute e Urias como um obstáculo. Davi estava servindo aos seus próprios interesses e não a Deus. E é justamente ai que Deus usa a “faca” para a cura. Faz a cirurgia para tirar os ídolos que usamos para desprezar a Deus. Por amor, Deus tira o que impede nosso relacionamento com Ele. Ele tira os deuses.

Três palavras de graça diante da situação difícil

A primeira é que tido que Deus faz é por amor. Por amor Ele usa o sofrimento para tirar tudo o que ocupa o lugar Dele no nosso coração.

A segunda está em II Samuel 12.23, onde Davi fala que um dia ira par onde a criança esta. Ou seja, Davi tinha consciência da eternidade. Pois há uma eternidade de Deleite com o Senhor (Salmo 16).

E a terceira é que nosso passado não nos condena. Davi se levante, tem Salomão que Natan o chama de Jedidias (amado do Senhor). Deus limpa e perdoa nossos pecados pelos méritos de Cristo.

Se dermos uma olhada em Mateus 1. 6, vemos que o fato de Bate-Seba ter sido mulher de Urias não foi ocultado e é justamente por isso que não precisamos temer pela nossa reputação. Deus muda. Deus limpa e faz tudo novo. Nenhuma condenação mais há para quem está em Cristo.

Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro. Isaías 43.25. 

Deus enviou Cristo para morrer desamparado, como maldito por nossos pecados. E isso foi tudo por amor, para que todo aquele que crê em Cristo se deleite na eternidade com Ele.

Conclusão diante de uma situação difícil

Diante disso, vemos que não há motivo para se culpar e sem achar que Deus é injusto diante do nosso sofrimento, mas percebemos como é importante ter uma visão mais ampla, uma visão macro. É importante sabermos sobre o caráter de Deus, pois só assim nos entregaremos ao Senhor do mesmo modo que fazemos com o médico nunca cirurgia. Temos medo, sentimos dores, mas sabemos que isso é para a cura. Do mesmo modo que para um câncer, o tratamento pode ser considerado agressivo, quanto mais para curar o pior dos cânceres, o pecado. Assim, confiemos nAquele que criou e controla todas as coisas. Descansemos em Deus, o Soberano, que faz tudo por amor.

É como Robert D. Jones diz no livro Quando os problemas surgem… enxergando o amor transformador de Deus: “Deus usa até mesmo as difíceis circunstâncias de nossas vidas para Seus propósitos redentores”.

Obs.: este texto foi baseado no sermão ministrado pelo Presbítero Roberto, na Igreja Presbiteriana da Graças (Recife-PE). Se quiser assistir ao culto completo, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.