Sobre pacientes, familiares e profissionais de saúde

Acredito que, não importa se o hospital é o mais luxuoso ou se é aquele mais precário, ninguém quer precisar ir a um hospital. Muito menos ficar internado.

Ficar longe de pessoas queridas, sentido dores, medo de uma cirurgia e até angústia por não saber o diagnóstico ou por saber que os recursos disponíveis na área de saúde nada mais podem fazer para seu caso, é horrível. Mas acredito também que não é só o paciente/família que sente isso. O profissional da saúde é gente como a gente. Também deixa sua família pra cuidar de outras pessoas.

Você pode dizer: “mas eles ganham pra isso, escolheram fazer isso!”
E isso é verdade! Mas só quem já trabalhou em hospital, em uma urgência ou até mesmo em clínicas sabe como é (eu já).

Hoje, assisti a mais um programa da IPPTV – Capelania: gente cuidando de gente – e puder ver mais uma vez a importância tanto de cuidar dos profissionais de saúde e como de prepará-los para ajudar os pacientes de forma espiritual também.

Nessa pandemia, muitos pacientes ficaram isolados e não puderam receber visitas, nem a Capelania pôde realizar suas atividades como de costume e, nesses momentos, ter profissionais de saúde salvos em Cristo, que transmitem esperança, além do que sua especialidade pode oferecer, faz a diferença.

Se Deus, em sua eterna providência, te colocou na área de saúde, olhe os pacientes nos olhos, cuide como você quer ser cuidado, leve esperança. Se você é paciente/família entenda que o profissional não é uma máquina.
E, se você está passando por momentos estressantes, angustiantes, peça ajuda, converse com alguém maduro, de confiança. Ninguém precisa estar sozinho e, muitas vezes, a presença de Deus pode ser sentida de forma concreta quando apoiamos (nos apoiamos em) alguém.

Que Deus nos ajude a sermos profissionais/paciente/família que glorifique a Deus.

Que Deus nos dê sabedoria!

Texto publicado originalmente em @meuslivros.com_

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.