Tempo e organização

Ao ler este trecho do livro “Estranho, ser normal não está dando certo”, de Graig Groeschel, fiquei pensando como é fácil colocarmos a culpa no tempo. Mas será que a culpa é do tempo ou da nossa falta de organização, planejamento?

Se formos honestos saberemos que sempre há tempo para as coisas supérfluas (mais um episódio, mais tempo nas redes sociais etc – as vezes parece que esquecemos o que está escrito em II Tm2. 16, que nos diz para evitarmos as conversas inúteis.), ou partimos para o outro extremo: agarramos-nos ao trabalho e passamos a viver em função dele, querendo o máximo de produtividade, eficiência (aquela ganância em sempre fazer mais para ter mais como um fim em si mesmo) e mesmo assim falamos que não temos tempo de ler mais a Bíblia, de orar, de ir aos cultos e coisas afins.

Neste contexto lembro-me de Marta e Maria (Lc 10. 38-42) e com isso vejo que temos que ter prioridades bem estabelecidas. “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça” (Mt 6.33a). Recordo-me também de Gênesis, a criação. É claro que Deus poderia ter criado tudo num só instante, mas, de maneira bem organizada, ele criou cada coisa de forma ordeira e depois descansou.No relato da criação vejo Deus nos ensinado a viver de uma maneira equilibrada, dividindo bem o tempo e descansando.

Que Deus nos ajude a obedecê-lo nesse ponto e que Ele nos dê sabedoria para planejarmos nosso dia através de uma perspectiva bíblica, eterna, onde o objetivo seja sempre a glória de Deus (I Co 10.31). Para que não venhamos a desperdiçar o tempo com futilidades, pois já fomos redimidos da nossa vã maneira de viver (I Pe 1.18), sempre estando cientes que “pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude” (II Pe 1.3).

Adelaine de Sousa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.